PUBLICIDADE Supermercado Vendão
POLÍTICA

Esquerda, governo e mudanças no CTB foram temas citados por Bolsonaro, em discurso, em Aragarças

Além de discorrer sobre a composição de seu governo, Bolsonaro também citou a proposta de mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

06/06/2019 07h44 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Esquerda, governo e mudanças no CTB foram temas citados por Bolsonaro, em discurso, em Aragarças

Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez um discurso de aproximadamente 8 minutos, durante o lançamento do programa Juntos Pelo Araguaia, nesta quarta-feira (5), em Aragarças. Na presença de centenas de apoiadores, que o cercaram desde que chegou na cidade, ele optou por uma fala política. Além de discorrer sobre a composição de seu governo, Bolsonaro também citou a proposta de mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e fez críticas à esquerda.

O presidente desembarcou no aeroporto de Barra do Garças por volta das 10h, onde foi recebido pelos governadores Mauro Mendes (DEM), de Mato Grosso, e Ronaldo Caiado (DEM), de Goiás. Estava também na recepção o prefeito do município, Roberto Farias (MDB).

Com a chegada do comboio do presidente na praia Quarto-Crescente, em Aragarças, por volta das 11h, foi dado início à cerimônia de lançamento do programa Juntos Pelo Araguaia. A iniciativa busca recuperar a bacia hidrográfica a partir de ações de contenção de sedimento e replantio de matas em nascentes e margens. Serão investidos 500 milhões de reais em quatro anos de desenvolvimento.

Ao lado do governador Caiado, Bolsonaro lembrou de um discurso feito pelo chefe do Executivo de Goiás, em 1989, no Rio de Janeiro, quando disputava a presidência do Brasil. A partir do fato, ele criticou a orientação política adversária. “Não precisava dizer que ele tinha muita reação. Estava no coração da esquerda do Brasil, no coração daqueles que não amam a liberdade, que detestam religiões e que também detestam a família.”

 “Mas o Caiado, sozinho naquele momento, ou quase só, porque tinha alguém , há alguns metros dele, pensando e torcendo por ele, mesmo naquele ambiente hostil, ele seguiu em frente. Não chegou [a presidência] infelizmente, mas, lá atrás, ele previa o que poderia acontecer com o nosso Brasil se a esquerda chegasse ao poder.”

Em outro momento, o presidente voltou a alfinetar os adversários e revelou que deseja unir o Brasil. “Não existe satisfação maior do que estar no meio de vocês. Vocês tem Deus no coração, vocês preservam a família, vocês querem uma escola onde não haja ideologia de gênero, que respeite as crianças, vocês querem um local onde todos consigam trabalhar e serem respeitados. Contem com o governo que não mais dividirá a nossa população, muito pelo contrário, cada vez mais unirá a todos.”

O presidente também comentou a composição de seu governo e deixou claro o trabalho conjunto entre os ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura pelo desenvolvimento sustentável. Segundo ele, as atividades das duas pastas são indissociáveis. “O que seria da brava, competente e trabalhadora ministra da Agricultura, Tereza Cristina, se ela não tivesse do seu lado um não menos bravo, competente e trabalhador ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Eles jogam juntos, no mesmo time do [Gustavo] Canuto, o nosso ministro do Desenvolvimento Regional.”

Bolsonaro ainda ressalvou que o investimento em recuperação e proteção da bacia hidrográfica não vai se sobrepor à economia. “Estamos sim preocupados com o meio ambiente, mas também perfeitamente casados com a economia, com o que se desenvolve nessa região, com o que o povo precisa, o que o povo quer. A primeira missão nossa [do governo] é não atrapalhar quem quer produzir.”

A recente proposição do projeto de lei para alterar o Código de Trânsito Brasileiro esteve entre os temas comentados. O texto entregue pelo governo à Câmara de Deputados, nesta terça-feira (4), determina o aumento da validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de 5 para 10 anos. Também estabelece novas regras para a penalidade quanto ao transporte de crianças e muda a pontuação limite para a perda da carteira, que sobe de 20 para 40 pontos. “Por mim, eu botaria 60, porque afinal de contas, a indústria da multa vai deixar de existir no Brasil”, bradou, acompanhado de aplausos.

Bolsonaro se despediu de Aragarças, após dar uma volta no rio Araguaia de Jet Ski, com o governador Caiado. Ele almoçou nas Águas Quentes e decolou por volta das 15h do aeroporto de Barra do Garças. 

FONTE: Semana 7/Kayc Alves

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE