PUBLICIDADE Supermercado Vendão
OPERAÇÃO 'DÉJÀ VU'

Esquema com notas frias para justificar gastos de deputados de MT desviou mais de R$ 500 mil, diz MP

Mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo TJMT.

03/08/2018 09h21 141 acessos

Esquema com notas frias para justificar gastos de deputados de MT desviou mais de R$ 500 mil, diz MP

Reprodução

PUBLICIDADE Skynet

Um esquema com uso de notas frias na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), investigado na Operação 'Déjà Vu', deflagrada nesta quinta-feira (2), desviou mais de R$ 500 mil, segundo o Ministério Público Estadual (MPE). Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Casa de Leis durante a operação.

São alvos a investigação: o presidente da ALMT, Eduardo Botelho (PSB), Ondanir Bortolini (PSD), Zeca Viana (PDT), Wancley Carvalho (PV) e os ex-deputados José Riva e Emanuel Pinheiro (MDB), atual prefeito de Cuiabá.

O G1 tenta contato com todos os citados.

As fraudes com as notas frias teriam sido cometidas entre os anos de 2012 a 2015. Quatro empresas teriam participado do esquema.

Parte dos representantes delas já prestaram depoimento e confirmaram a emissão das notas frias.

Segundo o MPE, quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos nesta quinta-feira. Os mandados foram expedidos pelo desembargador João Ferreira Filho, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).

Isso porque, segundo o órgão ministerial, gestores da ALMT teriam se recusado a entregar os documentos, alegando que não haviam encontrado nada relativo ao assunto.

Para o presidente da ALMT, as dúvidas do órgão ministerial são naturais. "Não precisa de mandado, se tiver dúvida pode vir que está tudo de portas abertas, não há constrangimento", afirmou.

FONTE: G1 MT

PUBLICIDADE

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE