PUBLICIDADE Supermercado Vendão
JUSTIÇA

Desembargadores negam liberdade a acusado de assassinar procuradores em Vila Rica

O procedimento, sob segredo de Justiça.

11/04/2017 21h04 | Atualizada em 12/04/2017 10h17 2 comentarios

Desembargadores negam liberdade a acusado de assassinar procuradores em Vila Rica

Foto: Reproduçao

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) negou pedido de liberdade em habeas corpus ao vaqueiro José Bonfim Alves de Santana, acusado de assassinar a tiros os procuradores Saint-Clair Souto Filho e seu pai, Saint Clair Martins, na zona rural de Vila Rica (a 1,2 km de Cuiabá) em 11 de setembro de 2016.

A decisão, estabelecida nesta terça-feira (11), foi confirmada ao Olhar Jurídico por Elizabeth Diniz Martins Souto, viúva do procurador Saint Martins. O procedimento, sob segredo de Justiça, foi relatado pelo desembargador Paulo da Cunha.
 
O procurador aposentado do Distrito Federal, Saint Clair Martins Souto, 78 anos e seu filho Saint Clair Martins Souto Filho, 38 anos, procurador do Estado do Rio de Janeiro, desapareceram no domingo, 11 de setembro, na cidade de Vila Rica (a 1,2 mil km de Cuiabá).
 
Eles estavam com passagem agendada para retornar ao município de origem na data de 11 de setembro, mas como não apareceram, os familiares acionaram a Polícia.
 
Conforme a Polícia Civil, o crime foi cometido por um funcionário da fazenda propriedade dos procuradores.
Ele foi preso no município de Colinas do Tocantins (TO). As vítimas foram executadas com um revólver calibre 38, tendo o suspeito matado primeiro o pai.

Em seguida, o acusado chamou o filho para dentro da casa, falando que o pai havia sofrido uma queda, momento em que matou a segunda vítima.

FONTE: Olhar Direto

2 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. Codenacao maxima para esse lixo

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE