Politica

Parlamentares opinam sobre o uso obrigatório de máscaras contra a Covid em cidades do estado de Mato Grosso

Os municípios têm autonomia para decidir as regras, como já julgou o STF, mas em MT nenhuma cidade autorizou a flexibilização.

30/11/2021 09h37 | Atualizada em 30/11/2021 09h42

Os membros da comissão de saúde, previdência e assistência social da Assembleia Legislativa de Mato Grosso opinaram sobre o tema liberação ou não do uso obrigatório das máscaras em ambientes abertos no estado. O presidente da comissão, Dr. João (MDB), acredita que cada munícipio possa analisar sua realidade e tomar a decisão, “Depende exclusivamente de cada município, de acordo com a situação de vacinação de cada uma das cidades de Mato Grosso”, disse.

Os municípios têm autonomia para decidir as regras, como já julgou o Supremo Tribunal Federal (STF), mas em Mato Grosso nenhuma cidade autorizou a flexibilização. Para o deputado estadual Dr. Eugênio (PSB) a situação não pode ser tratada de forma política. “Compete ao comitê criado pelo governo de Mato Grosso de combate à Covid-19, com base em estudos, saber de fato se este é o momento ideal”, explicou.

Lúdio Cabral (PT) disse que é necessário ser analisado vários parâmetros e que o uso de máscaras deverá ser uma das últimas medidas a ser extinta, “Estamos lidando com um vírus traiçoeiro e devemos tomar todos os cuidados necessários. Devido o período do ano que passamos haverá muita circulação de pessoas em todo país, a máscara deverá ser extinta após o mês de março de 2022”, disse.

O deputado estadual Dr. Gimenez (PV) em sua análise como médico diz que as máscaras devem ser usadas até após o carnaval, “Não podemos correr risco de perder vidas. É necessário o uso da máscara como prevenção. Prevenir é o melhor caminho, por isso acredito que o uso da máscara é essencial”, disse.

Segundo epidemiologista - O epidemiologista e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Diego Xavier afirma que o momento permite o início de uma flexibilização do uso da máscara em espaços abertos, desde que não haja aglomeração. Afirma que o risco que o ambiente aberto oferece é muito menor do que no fechado, desde que as pessoas mantenham o distanciamento social. Cita como exemplo um show que, mesmo ao ar livre, o uso do acessório continua sendo indispensável.

O epidemiologista reforça que esse período, quando se aproximam as festas de fim de ano, deve funcionar para se observar como a doença vai se comportar e que as pessoas precisam ter consciência de que o vírus não deixou de circular e, se for necessário, retroceder nas decisões.

Mato Grosso - O Governo de Mato Grosso editou novo decreto nº 1.134 em que mantém obrigatório o uso da máscara facial como medida de biossegurança para a Covid-19, em espaços públicos e privados, inclusive para pessoas que já estejam imunizadas. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado no dia 4 de novembro.

FONTE: Eldorado FM com Assessoria

PUBLICIDADE