PUBLICIDADE
POLÍTICA

Prefeito de Santa Cruz do Xingu renuncia e assume Fapemat

O novo presidente substituirá o professor Adriano da Silva, que morreu em 3 de junho em Cuiabá, vítima do novo coronavírus.

05/09/2020 07h27 | Atualizada em 05/09/2020 07h33

Prefeito de Santa Cruz do Xingu renuncia e assume Fapemat

Ilustrativa

Marcos  de Sá (PSB) renunciou ao cargo de prefeito de Santa Cruz do Xingu, município com 2.633 habitantes, no Vale do Araguaia, divisa com o Pará. Não se trata de crise política nem de problema de ordem pessoal. Marcos de Sá foi nomeado presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapemat). A indicação do novo dirigente daquele órgão leva as impressões digitais do deputado estadual Dr. Eugênio (PSB), que é um dos líderes de seu partido e único representante do Vale do Araguaia na Assembleia Legislativa.

Marcos de Sá Fernandes da Silva nasceu em Barra do Garças, tem 41 anos, é cirugirão dentista e cumpria o segundo mandato consecutivo de prefeito. Sua nomeação pelo governador democrata Mauro Mendes aconteceu em 3 deste setembro, mas na véspera ele deixou a prefeitura ao vice e seu correligionário Maicol Ângelo Soares.

A posse da Marcos de Sá na Fapemat acontece após o feriado de 7 de Setembro. Sua escolha para o cargo deverá causar surpresa, por se tratar de um político oriundo de município pequeno e distante de Cuiabá. No entanto, Dr. Eugênio vê com naturalidade a presença do correligionário na Fapemat, por considerá-lo capacitado, dinâmico e motivado ao trabalho.

O novo presidente substituirá o professor Adriano da Silva, que morreu em 3 de junho num hospital em Cuiabá, vítima do novo coronavírus. Adriano Silva foi reitor da Universidade do Estado (Unemat), professor de direito e suplente de deputado estadual e de deputado federal.

Marcos de Sá não anunciou seu plano de ação para a Fapemat, mas uma fonte ligada a ele revelou que no ato da posse, ao lado de Mauro Mendes, o novo presidente focalizará sua meta na função.

AMM – Marcos de Sá é o tesoureiro-geral da Associação Mato-grossense dos Municipios (AMM), mas mesmo após renunciar ao mandato de prefeito  não precisará entregar o cargo na AMM, que agora, fica praticamente sem prefeitos em sua direção.

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, não é prefeito desde 31 de dezembro de 2016, mas cumpre o treceiro mandato consecutivo na direção daquela entidade que representa os municípios. Em 26 de junho deste ano a  Câmara Municipal de Aripuanã cassou o prefeito Jonas Canarinho (PSL), por improbidade administrativa; Canarinho é o secretário-geral da AMM.

FONTE: Boamidia

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE