JUSTIÇA

PM faz BO contra promotor por abuso de autoridade, desacato e ameaça

Fábio Camilo da Silva, promotor lotado em Guarantã do Norte, estava bêbado, segundo a Polícia Militar.

03/07/2017 08h26 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00 2 comentarios

PM faz BO contra promotor por abuso de autoridade, desacato e ameaça

Reprodução

A Polícia Militar registrou boletim de ocorrência por abuso de autoridade, desacato, lesão corporal e ameaça contra o promotor de Justiça substituto Fábio Camilo da Silva, lotado em Guarantã do Norte, a 721 km de Cuiabá. O promotor teria discutido com um policial, dizendo-lhe para "colar os cascos" ao falar com ele e ameaçado o PM de morte.

O caso aconteceu em frente a um posto de combustíveis na BR-163, em Terra Nova do Norte, por volta das 11h desse sábado (1º). Segundo o BO, Silva estava bêbado. Um vídeo que teria sido feito por um policial militar e anexado ao boletim de ocorrência mostra a abordagem.

Silva não foi preso, segundo a PM, porque tem prerrogativa de função. Ele só poderia ser preso em flagrante por crimes inafiançáveis, como racismo, terrorismo, tortura, tráfico e crimes considerados hediondos.

O G1 não conseguiu falar com Silva, que foi empossado promotor substituto em abril. Em nota, o Ministério Público do Estado disse que repudia o fato ocorrido e que está tomando as providências para apurar a conduta do servidor público, que poderá ser exonerado do cargo. O MPE disse ainda que trata-se de um caso isolado.

Boletim de ocorrência

Conforme o BO, a PM foi chamada por uma pessoa que passou pelo local e viu um carro parado e com os dois ocupantes discutindo. O boletim narra que o promotor, ao ser abordado pelo policial militar Edmilson Correa, perguntou se ele sabia com quem estava falando e que o PM deveria ‘colar os cascos’ para falar com ele.

Depois, o promotor teria ainda dado, mais de uma vez, ordem de prisão ao soldado. Disse também que tinha certeza que a arma que o policial portava tinha numeração raspada e que a polícia iria ‘plantar’ droga em seu carro.

No veículo os policiais encontraram garrafas de cerveja vazias e uma de uísque. Ainda segundo o BO, o promotor deu uma gravata no soldado que lhe abordou e disse que iria matar o policial com a própria arma dele.

O boletim relata ainda que, depois de algemado, o promotor bebeu um “líquido estranho” que estava numa garrafa de vidro, e começou a “tomar banho” com as bebidas que estavam no carro. Depois, tirou o short e saiu andando pelo local somente de cueca.

Um frentista do posto de combustível disse ainda à PM que viu o promotor saindo do banheiro do estabelecimento e cheirando algo em suas mãos, depois limpando-as. Essa informação também consta do BO.

FONTE: G1 MT

2 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. Pude ver os vídeos. Lamentável as cenas, ainda mais por se tratar de promotor de Justiça. Agora queria ver se os policiais teriam a mesma paciência que teve se fosse um cidadão normal.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE