PUBLICIDADE
VIOLÊNCIA

Mortes de mulheres respondem por quase 11% dos assassinatos em MT

O balanço mostra que se comparado ao mesmo período do ano passado, o número de assassinatos teve redução de 11,2%.

27/12/2019 11h25 | Atualizada em 27/12/2019 16h14

Mortes de mulheres respondem por quase 11% dos assassinatos em MT

Reprodução

Em Mato Grosso, de um total de 745 mortes violentas registradas de janeiro a novembro deste ano, 81 são de mulheres, o que corresponde a 10,87% dos casos. No entanto, nem todas as mortes são consideradas feminicídios, uma vez que há outras motivações para os crimes que não apenas a condição de ser mulher. Entre as causas há rixas, ambição, álcool, tráfico de drogas, dentre outras. Dados como estes foram divulgados, ontem (26), pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

O balanço mostra que se comparado ao mesmo período do ano passado, o número de assassinatos teve redução de 11,2%. Houve ainda o aumento de 12% de carros recuperados pelas polícias nos 11 meses deste ano na comparação com 2018. Foram 3.088 registros ante a 2.768 casos no ano passado. Já os casos de roubos e furtos caíram 27% e 13%, respectivamente, em todo o Estado.

De acordo com assessoria de imprensa da Sesp, mesmo com números positivos na redução da criminalidade nos 11 primeiros meses do mandato, o governador Mauro Mendes prefere fazer avaliação positiva dos dados criminais apenas no fim da sua gestão, em dezembro de 2024. “Os números que me são apresentados pela Sesp são positivos, mas tenho falado que quero comemorar ao final de 4 anos. Os números são muito importantes porque mostram o declínio de alguns indicadores de segurança pública e sensação de segurança maior, mas a grande comemoração será depois de quatro anos, um lapso de tempo melhor para fazer uma avaliação”, destacou Mendes.

O titular da Sesp, Alexandre Bustamante, reforçou que desde o início da gestão, o governador tem tentado reconstruir o estado. Na Sesp, Bustamante lembra que assumiu o cargo em janeiro com cenário de redução drástica na quantidade de viaturas, dificuldades financeiras que permearam ao longo do ano, contudo, o trabalho dos servidores do setor fez toda a diferença para a redução da criminalidade. “Esse foi o ano da dificuldade e ano que vem esperamos que o Governo do Estado, após o ajuste das contas, consiga dar retorno social maior ao cidadão por meio das ações de segurança pública. Sabemos que equipe econômica tem feito os ajustes necessários e com isso, esperamos ter viaturas suficientes e pessoal em todos os municípios”.

FONTE: Diario de Cuiabá

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE