PUBLICIDADE Supermercado Vendão
DENÚNCIA

Idoso denuncia prefeita de Ribeirão Cascalheira por apossar de uma procuração e fazer 17 empréstimos em seu nome

As denuncias partiu do idoso aposentado Sr. Pedro Pereira de Sousa (71 Anos).

10/01/2019 09h52 | Atualizada em 10/01/2019 10h28 202 acessos

Idoso denuncia prefeita de Ribeirão Cascalheira por apossar de uma procuração e fazer 17 empréstimos em seu nome

Facebook/Reprodução

PUBLICIDADE Skynet

Mais uma bomba explode no meio politico do Araguaia, as denuncias são gravíssimas, o alvo é a ex-presidente da Câmara de Ribeirão Cascalheira, Luzia Nunes Brandão (SS) atualmente prefeita interina do município. As denuncias partiu do idoso aposentado Sr. Pedro Pereira de Sousa (71 Anos) ele acusa a então vereadora de realizar dezessete empréstimos financeiros em seu nome através do banco BMG

Visando contribuir no desfecho de um suposto crime pautado por um jornalismo imparcial e investigativo no intuito de se fazer justiça, alguns moradores do distrito de Campina do Araguaia, município de Bom Jesus do Araguaia, povoado que faz divisa com Ribeirão Cascalheira, procurou esse órgão de imprensa para denunciar supostos crimes envolvendo a então vereadora e atual prefeita de Ribeirão Cascalheira Luzia Nunes Brandão.

O valor total dos empréstimos pode chegar a R$ 45 Mil reais, Luzia assumiu o cargo de prefeita interina do município de Ribeirão Cascalheira por ordem judicial após o TRE cassar o ex-prefeito Reynaldo Diniz (PR) e o vice-prefeito Gleison Oliveira da Silva, acusados de corrupção.

Segundo documentos áudios e vídeos da entrevista que esta sendo publicada nessa reportagem, a atual prefeita é a principal suspeita desse crime contra o ancião, de certa forma um cidadão indefeso e analfabeto.

As denuncia vão desde uma procuração assinada em nome da denunciada, posse do cartão benefício, domicilio fraudulento, 17 empréstimos bancários em nome da vitima, além do sumiço de todo dinheiro da sua conta.

De acordo denuncia para formalizar o crime a suposta fraudadora usava uma procuração assinada pela vitima que lhe dava amplos poderes para realizar qualquer tipo de transação em seu nome junto às instituições bancarias, um suposto relatório medico fraudulento direcionado ao INSS atestava que o senhor Pedro Pereira de Sousa estariainvalido em uma cama sem condições físicas de se locomover.

A fraude somente foi descoberta após seu Pedro procurar o INSS e em seguida a agencia do Banco Bradesco de Ribeirão Cascalheira, onde ele recebe seu beneficio, na ocasião foi informado que pelo menos 17 empréstimos haviam sido feitos em seu nome, os valores variam obtidos entre 600, 2.000, 5.000, 8.000 e 10 mil reais. O montante se transformou em dividas pessoal para o idoso e ultrapassam R$ 45 Mil reais.

Para a nossa reportagem Pedro Pereira afirmou que recebeu apenas um empréstimo supostamente feito por Luzia, no valor de R$ 5 mil reais. “acredito que a Luzia apossou de todo dinheiro dos empréstimos que ela fez em meu nome, são empréstimos fraudulentos que não chegou às minhas mãos e que eu não autorizei a fazer”. Lamentou o idoso de forma simples e traumática. Ao seu Pedro restou apenas as dividas a serem pagas ou impagáveis junto ao banco.

Segundo alguns moradores de Campina do Araguaia, atualmente o valor que o ancião esta recebendo sequer da para comprar seus remédios de uso diário, devido ao numero de empréstimos que estão sendo descontado em seu pagamento. Pedro vem sobrevivendo graças a ajuda de terceiros que se solidarizaram com sua historia e pelo fato do idoso ser bastante querido na comunidade.

As denuncias trazidas a nossa reportagem são gravíssimas, o crime é federal e envolve órgão público da união, alguns membros da comunidade estão auxiliando a vitima no sentido de formalizar as denuncias junto aos órgãos competentes, dentre eles; o MPF,MPE, INSS e Policia Federal para que tomem as devidas providencias que o caso requer.

De acordo reportagens divulgadas na mídia nacional, geralmente os fraudadores usam o mesmo modus operandis contra suas vitimas, eles conquistam a confiança da pessoa abusam da sua inocência e simplicidade das vitimas e oferece dinheiro fácil e rápido em conta sem burocracia.

Segundo pesquisas é comum idosos realizarem empréstimos em instituições financeiras geralmente para quitar dividas, ajudar familiares, fazer pequenas reformas e realizar tratamentos de saúde, na maioria das vezes ate 70% da sua renda mensal fica comprometida com as financiadoras.

Segundo apuramos, Luzia Brandão sempre usou desse tipo de artificio na vida publica “aposentar” pessoas e auxilia-los na obtenção de empréstimos junto a bancos credenciados para tirar proveitos politico em troca de votos, são manobras rasteiras que na maioria das vezes acaba servindo de trampolim politico para conquista de mandatos eletivos. Luzia há época chegou a abrir um escritório em Ribeirão Cascalheira com essa finalidade.

Há indícios que exista uma quadrilha organizada agindo na região do Araguaia formada por especialistas em cometer esse tipo de crime confiante nos ares da impunidade. Há suspeita de que muitos aposentados e pensionistas podem ter sido lesados pela suposta quadrilha.

O Outro Lado

Insistentemente nosso veiculo de comunicação através do aplicativo Whassap abriu espaço para a acusada dar a sua versão, tentamos por varias vezes ouvi-la, mas sem sucesso. De inicio Luzia Brandão desconversou o assunto alegando apenas ser vitima de perseguição politica para sujar o seu nome, mas em seguida voltou atrás e se comprometeu a se manifestar posteriormente sobre o assunto, mas não se manifestou.

Na segunda tentativa a pedido da própria denunciada elaboramos varias perguntas sobre as denuncias que pesam sobre seus ombros, alertamos da gravidade dos fatos e enviamos as perguntas via aplicativo para que fossem respondidas por ela, mesmo visualizando a prefeita novamente se se furtou a falar com nossa reportagem para se defender das acusações ou comentar o assunto, em seguida a gestora bloqueou nosso contato.

Recentemente através de um porta voz a prefeita tentou uma aproximação com nossa redação, não para responder os questionamentos, mas para “tentar” nos convencer a fazer matérias institucionais pagas pela prefeitura, deixando transparecer que seria uma suposta troca de favores para que as denuncias não fossem publicadas, mas sem sucesso.

Finalizando informamos em nossas entrelinhas que esse veículo de comunicação sempre pautou pelo caminho legal e transparente comprometido com a ética do jornalismo.

Seja dito de passagem, convém deixar claro que este texto não pretende se tornar uma ode à impunidade e, sim, jogar luz sobre os fatos – descritos na lei.

FONTE: Antônio Borges Neto/Netão do Araguaia

PUBLICIDADE

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE