PUBLICIDADE Supermercado Vendão
GATO FELPUDO

Produtor de algodão é preso por furtar energia em MT

Empresário é suspeito de dar prejuízos de R$ 430 mil.

03/10/2018 09h31 539 acessos 1 comentario

Produtor de algodão é preso por furtar energia em MT

Reprodução

PUBLICIDADE Skynet

Operação conjunta realizada pela Energisa Mato Grosso, Politec e Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso resultou na autuação e prisão do proprietário da Star Cotton Algodoeira e Armazens Gerais Ldta em Primavera do Leste por furto qualificado de energia elétrica. A empresa estava com a rede elétrica ligada diretamente na rede de distribuição e furtando aproximadamente 720 MWh de energia, total suficiente para abastecer uma cidade no porte de São Pedro da Cipa por dois meses.

O gerente também foi conduzido pela Polícia Civil para esclarecimentos. Pelos cálculos da Energisa, o total furtado representa uma fatura em torno de R$ 430 mil, sendo que R$ 117 mil seria de arrecadação de ICMS ao Estado. A operação aconteceu na manhã de hoje (02). Além da responder criminalmente, o responsável terá que pagar todo o consumo desviado desde a data em que fez a ligação direta.

Sidney Tavares, gerente de Combate à Perdas da Energisa Mato Grosso, conta que a distribuidora já estava monitorando a algodoeira por meio de um trabalho prévio de inteligência. “No local, confirmamos que a unidade consumidora da algodoeira estava desligada no sistema da Energisa desde novembro de 2017, porém, estava consumindo energia normalmente, sem que fosse registrado ou faturado corretamente”, relata Sidney.

O delegado Regional de Primavera do Leste, Rafael Fossari, pontua que o furto de energia é crime e que dependendo do caso, ainda pode ser considerado qualificado, que é inafiançável. “É importante que as pessoas tenha clareza de que esse tipo furto não ficará impune. A Polícia Civil, em parceria com a Energisa e Politec tem feito um trabalho rigoroso para combater estes crimes”.

FONTE: FOLHAMAX

PUBLICIDADE

1 COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. Não digo que esse ato é correto mas se diminuíssem mais os impostos não incentivariam as pessoas fazerem esses atos. Acredito que a informação só ouve um equivoco ao invés de 720 MWh seria 720 KWh. Mas muito bem esclarecida a matéria. parabéns!

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE