CONFRESA

Empresário acusado de chefiar quadrilha de grilagem é morto

Almirante Xavier, de 46 anos, havia sido preso em 2013 acusado de mandar matar dois caseiros.

25/03/2017 07h49 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Empresário acusado de chefiar quadrilha de grilagem é morto

Ilustrativa

O empresário Almirante Fernandes Xavier, de 46 anos, foi assassinado a tiros no momento em que chegava com a esposa e o filho em sua fazenda no Município de Confresa (1160 km a Noroeste de Cuiabá).

Conforme a Polícia Militar, o homicídio ocorreu na noite de quinta-feira (23).

O empresário é acusado de chefiar uma quadrilha de grilagem no Muncípio. Ele havia sido preso pela Polícia Civil em 2013, acusado de mandar matar dois caseiros para invadir a Fazenda São Sebastião, em Confresa. A propriedade era de um agropecuarista que mora no Estado de Goiás.

Segundo a PM, Almirante chegou em sua propriedade com a família em uma caminhonete por volta de 19h.

A esposa de 38 anos o filho de 8 desceram para abrir a porteira.

Neste momento, três homens encapuzados saíram de um matagal e atiraram diversas vezes contra o empresário.

A mulher e o filho da vítima saíram correndo e não foram atingidos pelos disparos.

Após o crime, os assassinos fugiram em um Fiat Palio Weekend estacionado nas proximidades.

Almirante Fernandes foi atingido por seis tiros na cabeça e peito. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

A Polícia Civil abriu uma investigação para tentar identificar os suspeitos do homicídio. Até o momento, ninguém foi preso.

Quadrilha de grileiros

Conforme investigação da Polícia Civil, Almirante Fernandes era o líder de uma quadrilha de grileiros.

Importante comprador de gados na cidade, ele foi acusado de contratar três pistoleiros para executar o caseiro Reginaldo Pereira, da Fazenda São Sebastião, para invadir e grilar a área.

A vítima foi assassinada no dia 25 de outubro de 2013 com um tiro na cabeça. 

Depois do crime, a responsabilidade da guarda da propriedade passou para Milton Anselmo, que também foi executado em 21 de fevereiro de 2014.

A Polícia Civil conseguiu identificar a autoria do duplo homicídio através de escutas telefônicas.

Ele havia sido denunciado pelo Ministério Público Estadual pelos dois assassinatos e aguardava o julgamento em liberdade. O processo corre na 2º Vara Criminal de Porto Alegre do Norte, Município que fica a 26 Km de Porto Alegre do Norte.

FONTE: THAIZA ASSUNÇÃO/MiDIA NEWS

PUBLICIDADE