Polícia

Jovem é preso acusado de estupros em série e delegado não crê em arrependimento do mesmo: “Não ia parar”

Em um vídeo gravado pelos próprios investigadores, Rodrigo relata os passos que antecederam o crime e confessa a autoria.

12/08/2022 12h13 | Atualizada em 12/08/2022 18h51

O jovem Rodrigo de Oliveira Antunes, de 19 anos, foi indiciado pela acusação de estuprar duas meninas de 10 e é investigado em outros três casos de estupro. Ele confessou o crime, disse que estava “muito arrependido” e afirmou que estava alcoolizado quando cometeu os abusos.Apesar de se dizer arrependido, a Polícia não crê nessa hipótese, uma vez que ele já foi reconhecido por outras duas vítimas.

Todos os crimes foram cometidos no Município de Cotriguaçu. Segundo o delegado Mateus Almeida Oliveira Reiners, que conduziu as investigações, tudo leva a crer que Rodrigo continuaria a cometer crimes. Acho que ele não se sente arrependido,  não. Por ter cometido vários delitos, tem-se a sensação de que não iria parar”.

Em um vídeo gravado pelos próprios investigadores, Rodrigo relata os passos que antecederam o crime e confessa a autoria. “Eu estava andando de moto, aí furou o pneu e eu vi a menina, estava de moletom vermelho, e aí fui até a casa delas”, disse.  Ele é questionado pelos investigadores: “O que você fez com elas na casa delas?”. De cabeça baixa e quase que ininteligível, Rodrigo diz: “Estuprei”.

Durante todo o relato Rodrigo olha majoritariamente para baixo, pisca com frequência tentando passar um “ar de inocência” com feições suaves. Mais uma vez os investigadores questionam: “Você está arrependido do que fez?”. Mantendo o mesmo padrão no discurso, ele responde: “Muito senhor”.

A prisão de Rodrigo aconteceu no dia 30 de julho, logo após o estupro das menores. Nesta segunda-feira (8) o inquérito foi concluído e o jovem indiciado por estupro de vulnerável. Além das duas menores, Rodrigo é investigado em outros três crimes, em que o mesmo modus operandi se repete. Dos três casos com as investigações em andamento, em dois deles as vítimas também são menores. Rodrigo foi reconhecido por duas delas.

Mesmo modus operandi -  Conforme as investigações, Rodrigo empregava o mesmo modus operandi. Ele sondava as vítimas e cometia os abusos armado com uma faca. A arma, com seu nome cravado na bainha, foi encontrada em seus pertences. Conforme a Polícia Civil, o jovem viu as meninas quando elas saíam de uma festa de aniversário. Ele estacionou a sua moto na rua de cima e voltou a pé para a residência em que viu as meninas entrando. Com a faca ele rendeu as menores e ordenou que elas se despissem, cometendo o crime. Vídeos de câmeras de segurança mostraram ele seguindo as meninas.

Durante as investigações, a Polícia descobriu que em outros dois casos que estavam em andamento, o rapaz também era o autor dos crimes. As vítimas o reconheceram. “Um dos casos aconteceu em janeiro, com o mesmo modus operandi. Ao colocar uma faca no pescoço da vítima a levou para um terreno baldio e a estupro”, explicou o delegado. Em outro caso, Rodrigo desligou a energia da casa e tentou estuprar a vítima, que conseguiu se desvencilhar.Existe ainda outro caso em que o jovem é apontado como um dos principais suspeitos. As investigações seguem em andamento.

FONTE: Redação de Jornalismo da Eldorado FM

PUBLICIDADE