Policia

Presidente de Câmara de cidade da região Araguaia é preso sob acusação de homicídio e mudança de nome

Segundo apurado, após os homicídios o vereador e o irmão fugiram de Rondonia para Nova Nazaré e assumiram novas identidades

08/03/2022 08h17 | Atualizada em 16/03/2022 09h15

O presidente da Câmara Municipal de Nova Nazaré, (796 km a leste de Cuiabá), vereador Márcio Túlio (PSDB), foi preso pela Polícia Civil, acusado de cometer um duplo homicídio em Ariquemes (RO). Além dele, o irmão que é empresário no Estado do Goiás também foi preso nesta segunda-feira (7).

De acordo com a Polícia Civil, os irmãos usavam identidades falsas e estavam com mandados de prisão decretados pela Justiça por conta do crime que ocorreu em 2007. Com eles, foram apreendidas armas de fogo.

O vereador por dois mandatos e futuro candidato a prefeito do município responde a vários procedimentos na Delegacia Municipal de Água Boa por crimes de furto, ameaça, furto de gado, apropriação indébita, posse irregular de arma de fogo, receptação e direção perigosa. Ele também possui diversas passagens criminais na cidade Aruanã (GO) por furto em zona rural, lesão corporal, posse ilegal de arma de fogo e receptação.

De acordo com as investigações realizadas pela Delegacia de Água Boa, o vereador e seu irmão participaram do crime de homicídio ocorrido no dia 1º de janeiro de 2007 em Ariquemes (RO), ocasião em que duas pessoas foram mortas por disparos de arma de fogo.

Entre os envolvidos no homicídio, uma pessoa foi presa e os dois irmãos eram considerados foragidos. Segundo apurado, após os fatos os suspeitos foragiram da cidade e assumiram novas identidades. Após a troca de informações entre as Polícias de Ariquemes e Água Boa foi possível identificar a verdadeira identidade dos suspeitos.

Com a nova identidade, o suspeito foi morar no município de Nova Nazaré, onde foi eleito vereador por duas vezes e atualmente estava como presidente da Câmara, contudo não deixou de cometer crimes. O seu irmão tornou-se empresário, dono de um comércio, na cidade de Aruanã (GO). O parlamentar e o empresário responderão pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo, falsidade ideológica, falsa identidade e uso de documento falso.

“É um caso de grande repercussão, uma vez que os suspeitos foragiram do seu estado de origem e utilizando identidades falsas, fizeram a vida nos estados de Mato Grosso e Goiás, onde continuam com a prática de crimes, inclusive utilizando a política para cometimento dos fatos”, disse delegado regional de Água Boa, Valmon Pereira da Silva.

FONTE: Eldorado FM com Gazeta Digital

PUBLICIDADE