PUBLICIDADE Supermercado Vendão
SUICÍDIO

Sobe para 11 o número de participantes do 'Jogo da Baleia Azul' em MT, diz PM

Segundo a polícia, participantes tem entre 16 e 18 anos e procuraram ajuda após palestras em escolas.

20/04/2017 07h55 | Atualizada em 26/04/2017 20h39

Sobe para 11 o número de participantes do 'Jogo da Baleia Azul' em MT, diz PM

PM/Divulgação

Subiu para 11 o número de participantes do ‘Jogo da Baleia Azul’ em Mato Grosso, segundo a Polícia Militar. Os novos jogadores foram identificados durante um trabalho de conscientização de pais e alunos em escolas de municípios vizinhos de Vila Rica, a 1.276 km de Cuiabá, onde uma adolescente de 16 anos teria morrido em um dos desafios do jogo.

Segundo o tenente-coronel Joel Outo, somente nesta quarta-feira (19) cinco novos casos foram relatados à PM. O ciclo de palestra nos municípios se encerra na próxima quinta-feira (20). A suspeita é que o número de jogadores identificados aumente.

Os novos participantes têm entre 16 e 18 anos. De acordo com a polícia, eles procuraram ajuda após as palestras. O objetivo das palestras da polícia é conscientizar os adolescentes de que a prática não é perigosa.

Nos relatos, os adolescentes afirmaram que tiveram acesso ao jogo por curiosidade e pediram ajuda depois de avançar nos desafios. O game tem 50 etapas. O último seria o suicídio. Um adolescente relatou que participaria de um encontro durante a madrugada com outros participantes.

Os participantes do jogo identificados, segundo a PM, possuem cicatrizes profundas nos braços e nas pernas. Em um dos casos, uma mãe procurou os policiais dizendo que suspeitava que a filha estivesse cumprindo os desafios propostos pelo game. A adolescente dela está com uma cicatriz na perna em formato de estrela.

No celular da adolescente, a polícia encontrou uma mensagem sugerindo que ela fizesse a marca como um dos desafios do jogo. De acordo com a PM, vídeos de suicídios são compartilhados como pelos membros no grupo.

Uma das sugestões da polícia é que os pais ou responsáveis controlem o acesso dos filhos à internet e monitorem as mensagens trocadas na rede.

FONTE: G1 MT

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE