PUBLICIDADE Supermercado Vendão
SAÚDE

Regional de Vila Rica possui menores taxas de médicos e de leitos por mil habitantes em MT

A região com a menor taxa de médicos por mil habitantes em 2010 foi a RP III – Nordeste – Vila Rica, com 0,43.

19/08/2017 09h41 398 acessos

Regional de Vila Rica possui menores taxas de médicos e de leitos por mil habitantes em MT

Reprodução

PUBLICIDADE Skynet

Mato Grosso possui 1,25 médicos a cada mil habitantes. A taxa de médicos teve uma evolução, saindo de 1,09 em 2010 para 1,25 em 2015. Isso representa um aumento de 792 médicos atuando no estado. Os dados fazem parte do estudo “Regiões de Planejamento de Mato Grosso”, divulgado pela Secretaria de Estado de Planejamento. A publicação faz uma análise sobre a dinâmica do espaço mato-grossense de forma regionalizada, em uma perspectiva social, econômica e ambiental, na qual os 141 municípios têm o perfil detalhado em 12 regiões de planejamento. 

A região com a menor taxa de médicos por mil habitantes em 2010 foi a RP III – Nordeste – Vila Rica, com 0,43. Em 2015 a RP I – Noroeste 1 – Juína foi quem figurou com a menor taxa das regiões, alcançando 0,44. Em seguida aparece a cidade de Vila Rica (RP III – Nordeste) com 0,48 médicos a cada mil habitantes e Diamantino (RP IX – Centro-Oeste) com 0,52 profissional a cada mil pessoas. A maior taxa em 2010 e em 2015 ficou com a RP VI - Região Sul – Cuiabá com 1,86 e 2,03 respectivamente. 

Em relação à Taxa de Leitos, o estudo apontou que houve um pequeno decréscimo entre os períodos analisados, indo de 2,16 (em 2010) para 2,15 (em 2015). A Seplan confirma que embora tenha ocorrido essa redução de 0,01 no período houve um aumento de 495 leitos no estado. Isso se explica devido taxa de crescimento da população, no período, ser maior que a taxa de expansão de leitos. 

A região com maior Taxa de Leitos, em 2015, foi a RP XI - Noroeste 2 – Juara, com 2,85 leitos por mil habitantes. Em seguida vem Cuiabá (RP VI- Sul)com 2,55 leitos a cada mil habitantes e Barra do Garças (RP IV –Leste) com 2,46. Com menos leitos estão Tangará da Serra (RP VIII-Oeste) com 1,72, Sorriso (RP X – Centro) com 1,44 e Vila Rica (RP III – Nordeste) com 1,44. 

Já a Taxa de Mortalidade em Mato Grosso diminuiu no período analisado, indo de 12,06 em 2010, para 11,72 óbitos de menores de 1 em relação aos nascidos vivos (no ano) por mil habitantes em 2015. A Seplan confirma que embora tenha havido aumento do número de óbitos de menores de 1 ano no período, a quantidade de nascimentos cresceu a uma taxa superior a taxa de óbitos resultando no decrescimento da taxa. A região com menor taxa de mortalidade, em ambos os anos analisados, foi a RP IV - Leste - Barra do Garças. Em 2015 a cidade registrou 3.522 nascimentos e 22 óbitos com menos de um ano de idade, a taxa de mortalidade a cada mil habitantes ficou em 6,21.

No Estado a taxa de mortalidade a cada mil é de 11,72, em 2015 foram 57.694 nascidos vivos e 676 óbitos ocorridos com menos de um ano de idade. Superando a taxa de mortalidade estadual estão Juína com 13,38 a cada mil, Cuiabá com 13,61 a cada mil, Diamantino com 15,72 e Tangará da Serra com 17,13. 

FONTE: Diário de Cuiabá

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE