PUBLICIDADE
Cidades

Prefeito de Barra do Garças baixa decreto restringindo comércio local para conter o COVID 19

As medidas tomadas pelo prefeito Adilson Gonçalves serão acompanhadas pelos municípios que integram o Consórcio Intermunicipal de Saúde Portal do Araguaia

09/01/2021 08h56 | Atualizada em 12/01/2021 11h31

O prefeito Adilson Gonçalves divulgou na manhã desta sexta-feira (8), medidas emergenciais para regulamentar as atividades econômicas na pandemia do novo coronavírus no municipio. O anúncio do decreto aconteceu durante uma coletiva de imprensa realizada em seu gabinete, na Prefeitura.

De acordo com o decreto, ficam suspensos pelo período de 15 dias, o funcionamento de boates, casas de espetáculos e eventos; além da realização de eventos esportivos e proibição do consumo de bebidas que possa ocasionar aglomerações (praias, cachoeiras e escadaria do Porto do Baé).

Os estabelecimentos terão que obedecer também às regras de distanciamento e higiene para prevenir a doença; bares, restaurantes, lojas de conveniências, distribuidoras de bebidas e mercearias, funcionarão de segunda a quinta-feira, das 6 às 24h; e às sextas, sábado, domingos e vésperas de feriados, até à 1 hora da manhã.

O decreto regulamenta também a celebração de missas e cultos religiosos nas igrejas e templos, obedecendo regras de distanciamento, redução do número de fiéis em 50%, e limitação do horário. As regras se aplicam também as agências bancárias, que devem adotar medidas de higienização e redução do número de clientes.

As medidas tomadas pelo prefeito Adilson Gonçalves serão acompanhadas pelos municípios que integram o Consórcio Intermunicipal de Saúde Portal do Araguaia: Araguaiana, General Carneiro, Pontal do Araguaia, Torixoréu, Ribeirãozinho, Ponte Branca e Novo São Joaquim, e Aragarças (GO).

Segundo prefeito Adilson Gonçalves, a fiscalização para o cumprimento do decreto será realizada pela Vigilância Sanitária e a Polícia Militar, mas compete também aos próprios comerciantes inspecionar seus estabelecimentos, a fim de preservarem a própria saúde.

“Eu sou contra privilégios, não acho justo uma pessoa que cuida do seu comércio, pagar pelo que não cuida, essas pessoas que não cumprirem o decreto serão notificadas e se insistirem será suspenso, provisoriamente, o seu alvará de funcionamento”, alertou.

FONTE: Radio Eldorado FM 87, 9 com Assessoria

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE