PUBLICIDADE
SAÚDE

70% das cidades de Mato Grosso não têm respiradores

De acordo com a SES, o número pode ser maior devido aos equipamentos da rede privada de saúde.

05/04/2020 09h13 | Atualizada em 05/04/2020 20h16

70% das cidades de Mato Grosso não têm respiradores

ilustrativa

Mato Grosso tem disponível na rede pública de saúde 813 respiradores mecânicos em todo o estado. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), esses aparelhos estão nos Hospitais Regionais e unidades de saúde em 38 municípios. O equipamento é usado para tratar pacientes com problemas respiratórios graves, como os causados pela Covid-19.

De acordo com a SES, o número pode ser maior devido aos equipamentos da rede privada de saúde. Porém, a quantidade disponível não tem como ser contabilizada com exatidão. Os mais de oitocentos respiradores são pertencente da rede do Sistema Único de Saúde (SUS).

Aproximadamente 73% dos municípios do estado não tem um respirador mecânico disponível para pacientes nas unidades de saúde, de acordo com o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

O aparelho é essencial para garantir a sobrevivência de pacientes com quadros severos da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Em Mato Grosso já foram confirmados 44 casos e um morte em decorrência dessa doença.

Segundo a secretaria, do total de aparelhos disponíveis no estado e que ajudam na respiração do ser humano, 172 equipamentos estão em oito Hospitais Regionais, como em Rondonópolis, Sinop e Cuiabá e outros.

Conforme o CNES, alimentado por informações pelas unidades de saúde e secretarias municipais, das 141 cidades do estado, apenas 38 têm equipamentos de ventilação mecânica disponíveis na rede pública, juntas somam um total de 641 respiradores.

São elas Água Boa, Alta Floresta, Alto Garças, Barra do Bugres, Barra do Garças, Canarana, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Campo Verde, Chapada dos Guimarães, Confresa, Cuiabá, Diamantino, Guarantã do Norte, Guiratinga, Jaciara, Juara, Juína, Juruena, Lucas do Rio Verde, Marcelândia, Matupá, Mirassol D'Oeste, Nova Marilândia, Nova Mutum, Nova Olímpia, Paranatinga, Peixoto de Azevedo, Pontes e Lacerda, Poxoréo, Primavera do Leste, Rondonópolis, Santa Terezinha, São José do Rio Claro, São Félix do Araguaia, Sapezal, Tangará da Serra e Várzea Grande.

A Prefeitura de Cuiabá não quis informar a quantidade de respiradores mecânicos que se encontram na capital. O secretário municipal de Saúde, Luiz Antônio Pôssas de Carvalho, disse que a capital deve receber a maior demanda de tratamentos de pacientes por coronavírus.

Já a Prefeitura de Várzea Grande, na região metropolitana da capital, disse que o município tem 39 equipamentos nas unidades de saúde do SUS. Entretanto, não estão adaptados para atender pacientes com coronavírus. A prefeitura estima a compra de 80 aparelhos, mas não estão conseguindo fornecedores pelo país.

Segundo a prefeitura, os equipamentos de ventilação mecânica não são apenas para o tratamento de pacientes com à Covid-19, mas também de pessoas com outras enfermidades e que necessitam do uso do respirador.

De acordo com o Ministério da Saúde, Mato Grosso tem um respirador para cada 2.503 habitantes no estado. A pasta está em contato e diálogo permanente com produtores brasileiros de respiradores mecânicos para que seja garantida a oferta no país.

A Secretaria Estadual de Saúde disse que está realizando o levantamento da quantidade de novos equipamentos necessários. A prioridade no momento é a construção emergencial de 198 leitos clínicos e 100 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o atendimento dos pacientes com coronavírus. Há previsão de um respirador mecânico para cada leito de UTI.

O Ministério informou que está trabalhando em um edital que foi encerrado nesta quinta-feira (3), para compra de 15 mil novos respiradores para todo o país. E ainda há expectativa da pasta publicar outro edital para adquirir mais 17 mil respiradores.

FONTE: FOLHAMAX

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE