PUBLICIDADE
AGRONEGÓCIO

Mapa confirma problema com vacinação contra febre aftosa e manda reduzir dose

Para conter a situação e evitar novos casos, a pasta anunciou que diminuirá a dose da vacina de 5 ml para 2 ml.

23/06/2017 08h27 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Mapa confirma problema com vacinação contra febre aftosa e manda reduzir dose

Ilustrativa

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirmou na noite de ontem (21) que a suspensão das exportações das carnes de cinco frigoríficos brasileiros foi causada por reflexos da vacinação contra a febre aftosa, que acabou gerando caroços em algumas peças. Para conter a situação e evitar novos casos, a pasta anunciou que diminuirá a dose da vacina de 5 ml para 2 ml.

A suspensão das carnes bovinas aos Estados Unidos foi confirmada ontem. Entre as cinco unidades de processamento afetadas está a planta Marfrig de Paranatinga (a 411 km de Cuiabá). 

O ministro Blairo Maggi (PP) disse que a reação contra a vacina se traduziu em um caroço nas proteínas animais, mas que a questão não coloca em risco a saúde pública.

O Mapa defende que a diminuição da dose da vacina aplicada nas cabeças de gado é importante até porque o país é livre da doença. Mato Grosso, por exemplo, não registra casos há vinte anos.

Guilherme Marques, que é diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa e presidente da Comissão Sul-Americana para a Luta contra a Febre Aftosa (Cosalfa), explica que a medida também irá diminuir os custos de logística e está em consonância com a programação de retirar totalmente a vacinação do país entre 2019 e 2023, quando o Brasil deverá ser reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre da doença sem vacinação.

Além disso, a pasta afirmou que retirou o sorotipo C da vacina, já que estudos do Centro Americano de Febre Aftosa concluíram que essa variável não existe na América do Sul. Essas decisões foram tomadas em abril, mas só foram anunciadas pelo ministério agora em junho.

Suspensão

Desde a última sexta (16) as unidades da Marfrig em Paranatinga, São Gabriel (RS) e Promissão (SP); da JBS em Campo Grande (MS) e do Minerva em Palmeiras de Goiás (GO) estão impedidas de negociar a carne com os norte-americanos. O Mapa explica que nesse dia recebeu os relatos das inconformidades das carnes e ativou o mecanismo de auto-suspensão. 

FONTE: RD NEWS/Carlos Palmeira

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE