PUBLICIDADE
TRÂNSITO ANIMAL

Indea amplia emissão de e-GTA para produtores e veterinários

Novidade irá facilitar o processo de movimentação animal, fundamental para certificação da carne mato-grossense.

02/11/2019 12h41 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Indea amplia emissão de e-GTA para produtores e veterinários

Reprodução

A partir do dia 04 de novembro, o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) vai ampliar a emissão da Guia de Trânsito Animal Eletrônica (e-GTA). Os produtores rurais poderão imprimir a e-GTA para movimentação de bovinos e bubalinos em todo Mato Grosso com a finalidade de engorda e reprodução. Já os médicos veterinários habilitados poderão emitir a guia eletrônica para abate e engorda de suínos. 

Atualmente, a e-GTA só está disponível para abate de bovinos e movimentação de galinhas com qualquer finalidade. As novas modalidades disponíveis para e-GTA correspondem a mais de 90% das guias emitidas atualmente pelo Indea, o que vai proporcionar maior agilidade nos trâmites exigidos para o trânsito animal.

A Guia de Trânsito Animal (GTA) é um documento obrigatório para a movimentação de qualquer espécie animal, exceto cães e gatos. Em Mato Grosso, o Indea é responsável pelo documento a apenas em 2018 emitiu 723.718 guias. A abertura do serviço só possível pela segurança oferecida pelo Sistema Informatizado, frequentemente auditado por organismo internacionais interessados na importação de produtos com procedência e certificação sanitária.

O documento foi estabelecido em todo território pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, que também normatizou a impressão da e-GTA por produtores rurais e médicos veterinários habilitados pelo Indea. A guia de trânsito é reconhecida internacionalmente como instrumento integrante da certificação da produção pecuária do Brasil e sua credibilidade depende de registros referentes ao cadastro, estoques de animais, vacinações e outras medidas sanitárias que descrevam exatamente a realidade encontrada nas fazendas e granjas.

A parceria e confiança entre o produtor rural e o Indea-MT foi decisiva para essa conquista, proporcionando uma melhor gestão sanitária do rebanho pelo pecuarista em virtude da facilidade na movimentação animal dentro de todo o território Mato-Grossense.

A medida foi apoiada pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal (Fesa-MT), Fundo de Sanidade e Desenvolvimento da Suinocultura (FSDS), Sindicato das Indústrias de Frigoríficos do Estado de Mato Grosso (Sindifrigo), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), Associação dos Criadores de Gado de Mato Grosso (Acrimat) e Associação Matogrossense dos Criadores de Ovinos (Ovinomat).

FONTE: Assessoria

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE