PUBLICIDADE Supermercado Vendão
TENSÃO NO LEGISLATIVO

Professores tentam invadir plenário da AL e entram em confronto com PM

A confusão ocorreu na área de acesso ao Plenário da AL-MT.

18/07/2019 15h19 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Professores tentam invadir plenário da AL e entram em confronto com PM

Reprodução

Os servidores da Secretaria de Estado de Educação (Sedcu-MT), que estão de greve desde o dia 27 de maio deste ano, entraram em confronto com a Rotam na manhã desta quinta-feira (18), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT). Eles tentaram invadir o Plenário do Poder Legislativo.

De acordo com informações, a confusão ocorreu na área de acesso ao Plenário da AL-MT. Seguranças da instituição se colocaram à frente dos manifestantes para impedir a entrada ao recinto.

Os trabalhadores tentam suspender a tramitação do projeto de lei de reinstituição dos incentivos fiscais em Mato Grosso até que uma solução à paralisação dos servidores da educação seja proposta pelo governador Mauro Mendes (DEM). O projeto está sob pedido de vistas de cinco deputados estaduais. A expectativa é de que ele seja devolvido para ser apreciado ainda nesta quinta-feira.

O deputado estadual Max Russi (PSB) saiu em defesa de uma servidora que teria sido agredida. “Pegaram uma servidora nossa pelo braço, não querendo deixá-la entrar. É servidora como todos, não é desta forma que vamos resolver o embate”, disse ele.

Ele disse ainda que não irá aceitar servidores sendo “atacados na sua integridade”. “Vou defender o servidor da Assembleia Legislativa, porque são eles que atendem todos os deputados e recebem muito bem quem vem até esta Casa procurar atendimento. Não vou aceitar fazer um tipo de coisa destas com nossos servidores, sendo atacados na sua integridade”, avisou o parlamentar.

O também deputado estadual Lúdio Cabral (PT), orientou que os manifestantes permaneçam pacíficos. “A manifestação aqui é legítima, mas precisa se manter como pacífica. Há algumas pessoas com comportamento que não é o melhor para o processo que estamos vivenciando”, orientou ele.

O presidente da AL-MT ameaçou realizar as sessões de portas fechadas, dizendo que tem a prerrogativa para tal.

FONTE: Midia News

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE