PUBLICIDADE Supermercado Vendão
PRECAUÇÃO

Especialista alerta para acidentes com animais peçonhentos e arraias durante as férias

Médica infectologista explica que procurar uma unidade médica é a melhor alternativa independente do caso.

05/07/2018 09h46 319 acessos

Especialista alerta para acidentes com animais peçonhentos e arraias durante as férias

Reprodução

PUBLICIDADE Skynet

Durante as férias de julho, é comum que os goianos viagem para áreas rurais ou próximas de rios e cachoeiras. Estes locais são o habitat natural de insetos e animais que, por vezes, podem oferecer riscos ao ser humano. Neste período, o número de casos de acidente com animais peçonhentos e arraias que chega ao Hospital Estadual de Doenças Tropicais dr. Anuar Auad (HDT) aumenta em relação às demais épocas do ano.

 Segundo o Núcleo de Vigilância Epidemiológica do HDT, em 2016 foram notificados 587 casos e, em 2017, foram 595 casos, totalizando 1.182 notificações nos dois anos. Deste total, as picadas de cobra saem na frente (477), seguidas de acidentes com escorpiões (354) e aranhas (212).

A médica infectologista e diretora técnica do HDT, Heloína Claret, conta que nos acidentes com cobras, as mais comuns são as jararacas e cascavéis. As picadas podem causar inchaços, podendo levar a necrose. Para evitar danos ao membro afetado, a vítima pode ser submetida à cirurgia. Além disso, a picada desses animais pode, ainda,  levar à hemorragia e problemas renais.

Já as cascavéis são consideradas de maior periculosidade, pois sua picada possui características neurotóxicas, ou seja, afetam o sistema nervoso da vítima. Heloína esclarece que o veneno do animal pode levar à insuficiência renal e até à morte.

“Cada acidente tem um tipo de reação diferente. Vai depender, sobretudo, do quantitativo de veneno que a cobra consegue jogar no organismo da pessoa atingida. Quanto mais rápido fizer o soro, melhor para o paciente, isso faz toda a diferença”, alerta a médica.

No caso de aranhas e escorpiões, a preocupação maior é em relação a crianças e idosos. No entanto, Heloína aponta que em todo acidente com animal peçonhento, a melhor alternativa é procurar a unidade de saúde mais próxima e não tentar remédios caseiros.

Arraias

Os rios, principalmente o Araguaia, também são pontos comuns para os quais os goianos viajam nas férias. Nestes ambientes, as arraias podem ser encontradas e, apesar de não serem animais peçonhentos, possuem um ferrão com toxina que causa dor intensa.

Nos casos de acidente com arraias, Heloína explica que, a toxina existente no ferrão dos animais é térmica e, por isso, mergulhar o membro afetado na água quente pode aliviar. No entanto, a médica desaconselha a retirar o ferrão, pois pode causar lesões ao local.

FONTE: Mais Goiás

PUBLICIDADE

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE