PUBLICIDADE Supermercado Vendão
PARALISAÇÃO

Agentes penitenciários cruzam os braços por três dias em Mato Grosso

A categoria considera que o governo fez pouco caso das demandas.

21/05/2018 16h58 | Atualizada em 21/05/2018 17h37 164 acessos

Agentes penitenciários cruzam os braços por três dias em Mato Grosso

Reprodução

PUBLICIDADE Skynet

Servidores penitenciários do Estado de Mato Grosso decidiram cruzar os braços por 72 horas nos próximos dias 25, 26 e 27. A paralisação se deve, conforme o sindicato (Sindspen), a inercia das pautas de reivindicações que a classe fez para o Executivo. A categoria considera que o governo fez pouco caso das demandas. A reunião aconteceu na última sexta-feira (19).

O objetivo era avaliar a pauta de reivindicações que foi apresentada durante reunião que aconteceu na Secretaria de Gestão (Seges), em abril e também a votação por movimento paredista.
 
As reivindicações da categoria foram o reajuste do adicional de insalubridade, extinção do cargo de assistente penitenciário, auxilio fardamento, isenção de ICMS na aquisição de armamento, quebra de interstício para progressão de nível e aproveitamento de tempo de serviço no executivo e concurso público.
 
Além disto, também foi discutido o reajuste do adicional de insalubridade, no qual a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) propôs a possibilidade da correção em duas vezes sendo 50% em 2018 e 50% em 2019, desde que a classe abra mão do passivo. Os servidores penitenciários não concordaram em desistir de receber o retroativo.
 
A convocação dos aprovados no último concurso público também teve relevância no debate. Um estudo deve ser enviado para o Executivo, informando o quantitativo necessário de servidores a serem nomeados.
 
A categoria dos servidores penitenciários considera que o governo fez pouco caso das demandas, não tomando nenhuma providência seja nos itens que necessitam de recurso ou apenas de vontade política. Por conta disto, foi decidida a paralisação por 72 horas, que acontecerá nos dias 25, 26 e 27 de maio. O Sindspen disse que irá notificar a pasta responsável.

FONTE: Olhar Direto/Wesley Santiago

PUBLICIDADE

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE