PUBLICIDADE Supermercado Vendão
RETA FINAL

Dnit apresenta anel viário à população de Barra do Garças, em fase de conclusão da obra

Para ser entregue, obra aguarda acabamento das pontes e abertura do trecho do contorno em Goiás.

07/03/2018 10h26 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Dnit apresenta anel viário à população de Barra do Garças, em fase de conclusão da obra

Edevílson Arneiro/Secom-BG

PUBLICIDADE Skynet

Uma comitiva de autoridades mostraram, na noite de ontem (5), o estado da obra do contorno viário de Barra do Garças. Com as duas pontes quase concluídas, os representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) deram detalhes sobre o término da empreitada. Na oportunidade, foi anunciada a publicação da licitação para o trecho do contorno do lado de Goiás, que ainda não foi aberto.

Após quase 20 anos projetando o anel viário, a obra só começou a andar de fato quando foi inserida no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A partir daí, o contorno de Barra do Garças, que deve tirar o fluxo de veículos de carga no centro do município, passou a ser prioridade do governo federal, sob responsabilidade do Dnit.

O superintendente do Dnit em Mato Grosso, Orlando Fanaia Machado, destacou que foi necessário ainda incluir a obra no Programa Avançar devido a cortes orçamentários, em 2017, que viriam a atingir o PAC. No Avançar, segundo Orlando, estão pouco mais de 50 obras de todo o Brasil, prioridades máximas do governo, que recebem recursos continuamente.

“Foi o que garantiu o recurso para que a gente pudesse realmente acelerar e vencer a etapa mais difícil do empreendimento que são as pontes. Essas pontes, a gente deve entregar até maio, no mais tardar”, destacou na audiência ontem, que ocorreu no Anfiteatro Fernando Peres de Farias. “O que era o principal entrave do empreendimento está na sua fase final. Agora nós vamos entrar na fase de pavimentação”, concluiu.

Com 90% concluída, a ponte sobre o rio Garças, do lado de Mato Grosso, já chegou em terra firme e está em fase de acabamento. Todo o lado de Barra do Garças e Pontal do Aragauaia consumiu até janeiro deste ano um montante de R$ 40 milhões. A previsão do valor total dessa parte da obra é de R$ 65,1 milhões.

Do lado de Goiás, a ponte sobre o rio Araguaia apresenta 70% de sua estrutura concluída. Em Aragarças, o que falta ainda é a abertura do trecho em terra firme e o encabeçamento da ponte, que deverá ser licitado, segundo anunciado ontem, nas próximas semanas. O custo desse lado da obra ainda não foi detalhado, devido ao processo de licitação em abertura.

O prefeito de Aragarças, José Elias, está confiante de que o lado goiano não será problema para a obra. O gestor quer levar o governador Marconi Perillo para conhecer a ponte, no próximo dia 26, em ocasião de sua visita no município. “Eu tenho certeza que Goiás não será o entrave da realização desse sonho que reúne as três cidades”, afirmou.

As pontes do rio Araguaia e Garças têm, respectivamente, 240 e 168 metros de cumprimento cada. São estruturas modernas, com uma estética que pretende tornar a obra os novos cartões postais da região. Na construção, foi usada 80% de mão de obra local e 20% de mão de obra especializada, que veio de outras regiões.

O senador Wellington Fagundes, o principal articulador do contorno viário, destacou na audiência que é necessário pensar o Plano Diretor dos três municípios daqui para frente. “É preciso que as três cidades cuidem de fazer um Plano Diretor para não deixar o anel viário ser invadido, de uma forma que amanhã vire uma nova avenida com perturbação e, principalmente, acidentes, que é a maior preocupação”, ressaltou, acentuando que o contorno deve trazer uma nova área de desenvolvimento para a região.

O prefeito de Barra do Garças, Roberto Farias, aproveitou para pedir aos representantes do Dnit a drenagem na região do Nova Barra Sul. Com o levante da obra do anel viário, o não escoamento da água piorou no período das chuvas. A Avenida Amazonas fica intransitável, devido ao alagamento, após uma chuva forte.

“É muito importante nós termos a conclusão dessa obra do Nova Barra Sul. Virou um rio. Aquela comunidade tem sofrido demais. Nós precisamos tirar esse volume de água que escoa na Avenida Amazonas”, disse ao diretor Geral do Dnit, Valter Casimiro, presente na audiência. “O senador Wellington disse que vai lutar para, depois do projeto pronto, já alocar o recurso necessário para esse aditivo”, concluiu.

O prefeito também pediu a iluminação de todo o contorno para que a segurança seja garantida a população e ao trânsito de veículos. Segundo ele, cria-se um paradoxo deixar o contorno no “breu”, uma vez que pode gerar nova onda de acidentes.

Estiveram presentes também o senador José Medeiros, o deputado estadual Baiano Filho e o diretor de Engenharia do Dnit Luiz Antonio Garcia. O deputado estadual Adalto de Freitas e o prefeito de Pontal do Araguaia, Gerson Rosa, enviaram representantes, porque não puderam comparecer. Dirigentes da Sanches Tripoloni ainda fizeram uma exposição sobre as informações técnicas de engenharia das pontes.

FONTE: Kayc Alves/Da Redação

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE