PUBLICIDADE
INTERLOCUÇÃO

Deputado recebe sindicatos dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias

O Poder Executivo analisa a proposta para verificar a possibilidade de implantar um meio de remunerar os profissionais.

05/10/2017 09h12 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Deputado recebe sindicatos dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias

Reprodução

O deputado estadual Dr. Leonardo Albuquerque (PSD) recebeu os presidentes de três sindicatos de agentes comunitários de saúde e de agentes de combate às endemias na manhã desta quarta-feira (4), Dia Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e de Agentes de Combate às Endemias.  O parlamentar ainda levou os representantes das duas categorias, que realizam importante trabalho na saúde básica, a uma reunião com o governador Pedro Taques (PSDB) e com o secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi (PSB).

“Nos orgulhamos de atuar em prol dos seus direitos por meio da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos dos Agentes de Saúde e de Combate às Endemias”, afirmou o deputado Dr. Leonardo, que é presidente da frente parlamentar. Na ocasião, o deputado também entregou moções de aplausos aos representantes, que foram aprovadas pela Assembleia Legislativa.

Deputado Leonardo Albuquerque tem atuado como interlocutor entre as duas categorias junto a prefeitos, câmaras de vereadores, Tribunal de Contas e governo do estado em busca de melhorias nas condições de trabalho, na regularização do vínculo trabalhista e de incentivos financeiros a esses trabalhadores.

Os agentes comunitários de saúde e de combate às endemias fazem o elo entre a saúde pública e os moradores das comunidades atendidas, conscientizando a população e realizando o primeiro atendimento. Por conta disso, estes profissionais são peça fundamental na qualidade da saúde pública do nosso estado.

A Frente Parlamentar de Defesa dos Agentes Comunitários de Saúde e Combates a Endemias, presidida pelo deputado estadual Dr.Leonardo, apresentou ao governador Pedro Taques uma indicação para instituição de uma complementação salarial, paga pelo Estado, para os agentes.

Há três anos, o salário dos profissionais está congelado e varia entre R$1.014 a R$ 1.050 por mês. Como o recurso é repassado pelo governo federal para que as prefeituras efetuem o pagamento, foi apresentada ao governo a sugestão de pagar um adicional salarial, como forma de melhorar a remuneração mensal desses profissionais que atuam na prevenção de doenças. 

O Poder Executivo analisa a proposta para verificar a possibilidade de implantar um meio de remunerar os profissionais.

FONTE: JARDEL ARRUDA/Assessoria de Gabinete

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE