Saúde

Mais de 01 milhão de pessoas em Mato Grosso estão com a dose reforço da vacina Covid em atraso

De acordo com dados da Saúde, 339.475 indivíduos que integram esse grupo etário acima dos 60 anos já tomaram a segunda dose.

03/02/2022 13h16 | Atualizada em 07/02/2022 12h49

PUBLICIDADE

Cerca de 1,2 milhão de pessoas com condições para receberem a dose de reforço contra a Covid-19 estão com o esquema vacinal em atraso, em Mato Grosso. Dentro desse grupo, estão 178.247 idosos entre 60 e 80 anos. Situação que preocupa ainda mais uma vez que quase 100% dos óbitos ocorridos desde outubro do ano passado está nesta faixa etária, principalmente, em pessoas com comorbidades.

De acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde (Ses-MT), 339.475 indivíduos que integram esse grupo etário acima dos 60 anos já tomaram a segunda dose. Contudo, somente 161.228 receberam o reforço de um dos imunizantes que protegem contra a infecção.

“As pessoas que não receberam a dose de reforço, além de estarem mais suscetíveis à contaminação pelo vírus, podem ainda evoluir para um quadro mais grave da doença, pois a eficácia da vacina é maior com o esquema vacinal completo”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Secretário adjunto de Vigilância e Atenção à Saúde da Ses-MT, Juliano Melo, reforça que os idosos entre 60 e 80 anos sem a dose de reforço pertencem ao público mais vulnerável para o agravamento da doença. Segundo o gestor, essa faixa etária já tem a idade como fator de risco e muitos já têm comorbidades, o que contribui para uma possível necessidade de internação. “Precisamos da conscientização das pessoas para entenderem que só se vacinando vamos mitigar a circulação do vírus e, dessa maneira, reduzir mais ainda o número de internações e mortes em decorrência da Covid-19".

Segundo especialistas, uma das principais medidas que a dose de reforço traz é na ampliação da resposta imune contra a doença. Estudos observaram uma queda de nível dos anticorpos alguns meses após as duas primeiras doses, assim como após a infecção natural pelo coronavírus. A terceira dose ou dose de reforço vem para proporcionar o aumento da quantidade de anticorpos circulantes no organismo, no que é chamado de “booster vacinal”. Assim, aumentar a quantidade de anticorpos circulantes, reduz a chance de cada pessoa se infectar ou se reinfectar pelo vírus.

Ao todo, Mato Grosso recebeu pouco mais de 6,9 milhões de doses do Ministério da Saúde (MS). Deste total, 5,7 milhões distribuídas aos 141 municípios mato-grossenses e, destas, 2,5 milhões de doses aplicadas como primeira dose e 2.090.944 como segunda dose, representando uma cobertura vacinal de 73,34% levando-se em conta uma população considerada vacinável de pouco mais de 2,9 milhões de pessoas.

Até a tarde desta segunda-feira (31), o Estado contabilizava 629.323 casos confirmados e 14.304 óbitos em decorrência do coronavírus. Do total, 30.290 estavam em isolamento domiciliar e 583.668 recuperados. Também havia 221 pessoas internadas em unidades de terapia intensiva (UTIs) e 207 em enfermarias, ambos serviços públicos.

A taxa de ocupação estava em 85,99% para UTIs e em 44% para enfermaria, ambos para adultos. Dentre os cinco municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (118.287), Várzea Grande (47.018), Rondonópolis (40.327), Sinop (29.324) e Tangará da Serra (21.082).

FONTE: Redação de Jornalismo da Eldorado FM

PUBLICIDADE