Mato Grosso

Governo altera pontos do edital de concurso da segurança de Mato Grosso, mas mantém pontos polêmicos e a data do certame

As mudanças no edital foram debatidas com o Ministério Público Estadual que concordou com as alterações realizadas pelo governo.

26/01/2022 12h21 | Atualizada em 27/01/2022 12h30

PUBLICIDADE

O governo de Mato Grosso republicou os editais de realização do concurso para cadastro de reversa da Segurança Pública, mas manteve pontos polêmicos como a desclassificação de pessoas com diabetes e a realização de exame de sorologia para HIV. Os exames teóricos serão realizados no dia 20 de fevereiro, como previsto inicialmente.

Em nota, o Ministério Público informou que as retificações dos editais atenderam recomendações que foram feitas na reunião com representantes do governo na semana passada. O MPE destacou, que no edital, o governo pede a realização do exame de HIV, mas não menciona que as pessoas vivendo com o vírus terão sua admissão negada.

As mudanças no edital foram debatidas com o Ministério Público Estadual que concordou com as alterações realizadas pelo governo. Apesar das mudanças nos editais, os cronogramas não foram alterados. As inscrições se encerraram na segunda-feira (24) e não foram reabertas.

As provas teóricas serão realizadas em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop e Barra do Garças. Também está mantido no edital a determinação de que os candidatos não tenham tatuagens 'obscenas ou ofensivas' e não possuam diabetes, que é uma doença controlada.

Foi retirada a necessidade de ter, no mínimo 24 dentes. Agora, o candidato terá que apresentar um atestado de boa saúde bucal. As mulheres não podem ter endometriose, uma doença inflamatória no útero. Os novos editais levam em conta o pagamento da Revisão Geral Anual de 7% que foi concedida pelo estado.

O concurso é para cadastro de reserva, só que o governo anunciou que pretende contratar 1.200 profissionais, ainda em 2021. A Comissão de Direitos Humanos da OAB já havia se manifestado contra o edital do certame e ainda não se manifestou sobre a nova versão.

Os editais do concurso de formação de cadastro de reserva da Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso exigem, entre outros documentos, dos candidatos a apresentação de exame de HIV antes da participação na prova de aptidão física. Para a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), os critérios são discriminatórios.

O presidente da comissão, Flávio Ferreira, disse que o edital confronta a Constituição Federal que impede que a vedação de qualquer pessoa em fazer o concurso público. "É um edital discriminatório neste aspecto. Nós entendemos que exames de saúde são necessários sim", disse.

FONTE: Redação de Jornalismo da Eldorado FM

PUBLICIDADE