PUBLICIDADE Supermercado Vendão
EDUCAÇÃO

Profissionais da rede estadual de Educação deflagram greve por tempo indeterminado

A deflagração demanda 72 horas para ser cumprida, conforme estabelece legislação, tempo suficiente que também o governo avance nas propostas de negociação.

21/05/2019 07h25 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Profissionais da rede estadual de Educação deflagram greve por tempo indeterminado

Reprodução

As escolas da rede estadual de Mato Grosso paralisam as atividades a partir de 27 de maio. Essa foi a decisão retirada em Assembleia Geral dos profissionais da educação, organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), nesta segunda-feira (20), na Escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá. A deflagração demanda 72 horas para ser cumprida, conforme estabelece legislação, tempo suficiente que também o governo avance nas propostas de negociação.
Após a deliberação do movimento paredista, os profissionais saíram em passeata pelas ruas da capital, em sentido ao centro – Praça Alencastro – manifestando publicamente a indignação com o desrespeito do governo ao direitos dos trabalhadores e, contra o ataque a Educação Pública, que está sendo desmontada na gestão Mauro Mendes que intensifica as medidas do governo federal.
A greve foi deflagrada por tempo indeterminado e aprovada por unanimidade. A categoria se mantém em Assembleia permanente, dando a possibilidade de se reunir a qualquer momento, caso algum documento do governo aponte para avanços nas pautas apresentadas: Concurso Público; cumprimento da Lei 510/2013; melhoria da infraestrutura das unidades escolares; escolas do campo; e, um calendário de agenda permanente com o governo. “Desde o documento encaminhado na última Assembleia, em março, não avançou em nenhuma dessas pautas”, afirmou o presidente do Sintep/MT, Valdeir Pereira.
Representantes dos 105 municípios que estiveram no Conselho de Representantes sábado e domingo (18 e 19), somaram com os profissionais da Baixada Cuiabana que compareceram na Assembleia. O ginásio lotado com cerca de 3 mil profissionais exigiam do governo respeito à categoria e aos direitos conquistados.
O movimento grevista apresentou o calendário de mobilizações, programando novo Conselho para o dia 8 e 9 de junho, e nova Assembleia Geral dia 10. Contudo, a agenda de mobilização é extensa.
Companheiros e Companheiras,
O SINTEP/MT realizou Conselho de Representantes de todas as Subsedes do Estado, nos dias 18 e 19/05/2019, tendo como pauta principal - avaliar Estado de Greve e o Indicativo de Greve na Rede Estadual - para ser apreciada, na Assembleia Geral no dia 20 de maio, às 14 horas, na escola Estadual Presidente Médici, em Cuiabá.
As discussões trataram do calendário de mobilizações e encaminhamentos, das demandas das redes municipais e aprovação das propostas de resoluções do Conselho de Representantes para Assembleia Geral com a representação de 105 municípios do Estado.
Para a avaliação do Estado Greve e deliberação do Indicativo de Greve na rede estadual - foi considerado que o documento que o governo encaminhou para a categoria não apresenta avanços na pauta de reivindicação. Diante da negativa do governo, em não respeitar a lei complementar 510 (lei da dobra do poder de compras) e à revisão geral anual, o indicativo para assembleia geral é aprovar - *greve por tempo indeterminado *- para ser iniciada no dia 27 de maio (segunda-feira), respeitando o prazo legal de 72 horas para o exercício do direito de greve. Foi aprovado *aprovação de assembleia geral permanente*. *.
Proposta de calendário de atividades e mobilizações:
* Dia 20 maio – 18h – participar da audiência pública contra a Reforma da Previdência – “Brasil e a Seguridade Social*
*Do dia 21 ao dia 24 de maio: - as subsedes deverão conduzir as mobilizações da categoria nas unidades escolares com a realização de assembleia local com a participação dos estudantes, pais e comunidade em Geral;
*Mobilização pelos meios de comunicação – uso das mídias locais (com entrevistas em rádio, TV, jornais) mobilização nas redes sociais: Whatsapp – Facebook - Instagram para dialogar com a sociedade de que a educação estará entrando de greve devido o descaso do governo do Estado para com a educação (com panfletos, faixas e outros);
*Construção de dossiês das escolas* com os problemas que atingem a estrutura física, quadro de pessoal transporte e alimentação escolar que devem ser acompanhados de fotos, banners e outros meios;
*Estabelecer diálogo com a categoria das redes municipais* das questões locais. Caso seja possível, a construção de pauta de resistência também junto a redes municipais.
*dia 27 de maio (segunda-feira) * - realizar atos públicos em todos os municípios (panfletagem, passeata e outros) - em Cuiabá - ato público, em frente à SEDUC - como marco estratégico do início da Greve por Tempo Indeterminado em todo o Estado;
*Dia 30 de maio (quinta-feira) * - apoio à mobilização e Ato dos Estudante #30M - chamado pela União Nacional dos Estudantes;
*Realizar Conselho de Representantes (nos dias 08 e 09/06/2019) e Assembleia Geral (dia 10/06/2019) para avaliação e encaminhamentos sobre o movimento de GREVE;
Os/as profissionais da educação aprovam *Assembleia Geral Permanente* e poderá a categoria ser convocada, conforme Estatuto, a qualquer momento para deliberações, principalmente se houver negociações com o governo.
É hora de reafirmarmos nossas conquistas.
Por nenhum direito a menos, nossa escolha é a resistência!
#ÉGREVE!
Saudações Sindicais!
SINTEP/MT
Presidente - Valdeir Pereira

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE