PUBLICIDADE Supermercado Vendão
PODEM CRUZAR OS BRAÇOS

Servidores estaduais da Educação se reunem nesta segunda-fera para decidirem se entram de greve

A Assembleia Geral da categoria, hoje (25.03), segunda-feira, a partir das 14 horas.

25/03/2019 07h18 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Servidores estaduais da Educação se reunem nesta segunda-fera para decidirem se entram de greve

Ilustrativa

PUBLICIDADE Skynet

Os 103 municípios representados no Conselho de Representantes dos Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) encaminham para a Assembleia Geral da categoria, amanhã (25.03), segunda-feira, a partir das 14 horas, na Escola Estadual Nilo Póvoas, em Cuiabá, o enfrentamento pelo cumprimento integral da Lei 510/2013, na data-base. A pauta da luta exigirá do governo condições de funcionamento das escolas, tanto de infraestrutura, como contratação de pessoal, repasse da merenda e até mesmo material administrativo.

Diante do cenário de desmonte promovido pelo governo do estado, os profissionais da educação, que estão em estado de greve, terão como estopim qualquer descumprimento do direito salarial na data base da categoria, no Mês de Maio. "Vamos fazer a Assembleia Geral e deliberar conforme o anseio da categoria", esclarece o presidente do Sintep/MT Valdeir Pereira.

Durante os dois dias de Conselho foram elencadas inúmeras insatisfações vindas da base, e que se somaram à resposta oficial da Secretária de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT), entregue pouco antes das 18h, na última sexta-feira (22.03). O documento, trouxe uma narrativa considerada evasiva nas discussões de grupo e revelando a total falta de autonomia da secretária Marioneide Kliemaschewsk para assegurar as reivindicações. "Basicamente a decisão sobre as pautas da Educação está sob a tutela do governador", afirma o presidente.

As deliberações do Conselho que subsdiará as discussões na Assembleia prevê agenda de enfrentamento desde manifestações contra a Reforma da Previdência, com atos e participações em Audiências Públicas, até um dia de Paralisação, durante a Semana Nacional de Educação, em abril, seguido por uma nova data para a próxima Assembleia Geral.

FONTE: 24 Horas News

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE