PUBLICIDADE Supermercado Vendão
DEMOCRACIA

Escolas devem manter eleições para diretores em MT

Na próxima semana ocorrerão as etapas regionais, onde a tendência é que seja mantida a Lei 7.040/1998.

16/06/2018 10h55 104 acessos

Escolas devem manter eleições para diretores em MT

Reprodução

PUBLICIDADE Skynet

Nas etapas municipais das Conferências de Gestão Democrática (Conged) em Mato Grosso, os representantes da comunidade escolar têm rejeitado a minuta que pretender acabar com a Lei 7.040/1998, conquista histórica que normatizou a gestão democrática (eleição de diretores e organização dos Conselhos Democrático Comunidades Escolares – CDCEs – nas escolas). Na próxima semana ocorrerão as etapas regionais, onde a tendência é que seja mantida a Lei 7.040/1998, mas com previsão de avaliação, o que não aconteceu nos 20 anos de vigência dessa Legislação.

Na Baixada Cuiabana, por exemplo, municípios como Várzea Grande, Poconé, Jangada e Acorizal votaram pela permanência da Lei 7.040/1998, fruto de uma construção coletiva dos/as educadores/as, estudantes e pais/responsáveis. A luta na Conged é para que sejam debatidas melhorias e formas de avaliação da Legislação em vigência e não a sua substituição, como é a proposta do Governo Taques.

Durante a etapa regional realizada na região Leste do estado (com representação de 19 municípios, entre eles Barra do Garças, Água Boa, Ribeirão Cascalheira e Gaúcha do Norte) na última quinta-feira (14.06), foi rejeitada a substituição da Lei 7.040/1998, decisão que será levada para a etapa estadual, no mês de 28 e 29 de julho, em Cuiabá.

“O exercício da democracia inicia dentro da escola, com o processo de debate e eleição para direção e representação dos segmentos de professores, estudantes, funcionários e pais/responsáveis para o CDCE das escolas. O Governo Taques decretou o adiamento das eleições no ano passado sem nenhuma discussão com as escolas e agora tenta acabar com a Legislação que é pioneira no país, no sentido de assegurar voz à comunidade escolar na construção de uma educação socialmente referendada”, explica a secretária de Políticas Educacionais do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), Guelda Andrade.

FONTE: FOLHAMAX

PUBLICIDADE

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE