PUBLICIDADE
PLATAFORMA DA SEDUC

65% dos alunos da rede pública estadual ainda não acessaram aulas virtuais

Ao todo, 374.350 contas foram criadas para os estudantes desde o surgimento da plataforma Teams.

29/09/2020 10h36 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

65% dos alunos da rede pública estadual ainda não acessaram aulas virtuais

Reprodução

Em uso desde agosto, a plataforma da Microsoft Teams voltada para aulas virtuais na rede pública de ensino de Mato Grosso ainda não caiu no gosto dos estudantes. Dados da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) apresentados a diretores em reunião na quarta passada (23) revelam que 65% dos alunos que tiveram contas criadas ainda não acessaram o conteúdo disponível. 

Para se ter uma ideia, na cidade de Indiavaí (a 369 km de Cuiabá) nenhum registro de acesso foi computado até 4 de setembro.

Ao todo, 374.350 contas foram criadas para os estudantes desde o surgimento da plataforma Teams. Desse total, 130.089 estudantes estão ativos e conseguem estudar pela nova ferramenta. Os dados revelam ainda que 244.261 ainda não acessaram aos planos de estudos da Seduc, ou seja, mais da metade das contas criadas não ingressam às atividades no portal da secretaria.

Cuiabá é a cidade com o maior número de contas criadas pela Seduc. Ao todo são 14.233. Em seguida, aparecem Rondonópolis com 9.685 e Sinop com 6.835. De acordo com a análise da secretaria, o acesso dos estudantes tem sido registrado conforme a idade dos alunos, ou seja, os maiores registros foram observados a partir do ensino fundamental ao médio.

Um fato curioso é quanto ao município de Ribeirãozinho (a 544 km da Capital). Lá 89% dos alunos cadastrados participam dos conteúdos disponibilizados pela secretaria, conforme apresentação feita a diretores.

Além de Ribeirãozinho, a adesão dos estudantes à plataforma tem sido maior nos municípios de Torixoreu com 83% e Araguainha 75%. Já as cidades com as menores porcentagens de acesso são Acorizal 2,36%, Porto Estrela com 1,42% e Indiavaí que não teve nenhum acesso até então.

Conforme a apresentação, 3.287 alunos têm ficado em média apenas 6 a 4 horas por semana estudando na plataforma Teams. Pouco mais de 3 mil alunos em torno de 16 a 20 horas e cerca de 2.900 estudantes estudam em média 21 a 25 horas semanais.

O desempenho dos estudantes quanto a essa modalidade tem ficado abaixo do esperado, conforme dados da pesquisa. Muitos alunos não têm internet o que acaba dificultando o acesso à plataforma, além de não terem outras condições necessárias para estudar de modo à distância.

Acesso de professores

A Seduc criou também 21.133 contas para os professores da rede estadual de ensino. Ao todo, 17,269 estão em atividades e 3.864 ainda não tiveram acesso à plataforma. Entre alunos e professores, foram 150.663 contas disponibilizadas pela secretaria de educação. Em média, aproximadamente 86 mil usuários acessam por dia a plataforma digital Aprendizagem Conectada.

Volta às aulas

Outro assunto discutido na reunião de quarta (22), foi sobre a retomada das aulas na rede estadual de ensino de Mato Grosso, que devem ocorrer gradualmente de forma presencial no início do mês de outubro, começando pelo Ensino Médio, o "terceirão". Na ocasião, os profissionais e o Governo debateram planos estratégicos para reabertura das escolas. A data do retorno ainda não foi divulgada pela secretaria.

Entre as ações estudadas estão a distribuição e o uso obrigatório de máscaras, álcool 70% para higienização das mãos, além da desinfecção, quando necessário, das escolas, bem como o distanciamento de no mínimo 1,5 metro entre os alunos.

FONTE: RD News/Douglas Santos

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE