Curiosidades

Secretário de Fazenda de Mato Grosso  prevê queda de R$ 1 bilhão na arrecadação com ajuste do ICMS

Segundo Pimenta, tal proposta não teve estudo prévio para analisar o impacto que os estados e municípios terão em sua arrecadação.

15/06/2022 12h41 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

O secretário de Estado de Fazenda (Sefaz), Fábio Pimenta, afirma que o Projeto de Lei Complementar (PLP) 18/2022 aprovado pelo Senado, que fixa o teto de 17% do ICMS sobre combustíveis, energia elétrica, telecomunicações e  transporte coletivo, poderá causar impacto de mais de R$ 1 bilhão na receita do Estado nos próximos 12 meses.

Segundo Pimenta, tal proposta não teve estudo prévio para analisar o impacto que os estados e municípios terão em sua arrecadação. O texto base do projeto foi aprovado ontem pelo Senado por 65 votos a 12 e até o fechamento desta edição os destaques ao texto seguiam sendo analisados.

Para o chefe do cofre mato-grossense, apenas com a retirada do ICMS sobre as tarifas de uso de transmissão e de distribuição de energia elétrica (TUST, TUSD), na energia elétrica, o impacto será de meio bilhão de reais. Já em relação a gasolina, a Sefaz prevê um impacto de R$ 283 milhões para o Estado. 

"Na questão da gasolina, a gente tomou muito cuidado quando fez a redução de impostos aqui. De reduzir a gasolina de 25% pra 23% a alíquota do ICMS, para proteger o biocombustível, que é o combustível renovável, que polui menos que a gasolina. Então essa proposta não tem estudo. E essa análise tem que ser uma análise bem fundamentada, porque uma decisão nesse sentido não pode não atingir os resultados, afirmou ele.

FONTE: Redação de Jornalismo da Eldorado FM

PUBLICIDADE