11/01/2017 17h03 - Atualizado em 11/01/2017 17h36

Moradores de São José do Xingu e de mais três municípios enfrentam dificuldades com situação das estradas

Em janeiro o tráfego é intensificado devido ao escoamento de soja. Segundo os motoristas, são 20 km de atoleiros na região.
G1
Mato Grosso
Moradores enfrentam atoleiros nas regiões noroeste e nordeste de MT (Foto: Reprodução/TVCA)

Os moradores das regiões do noroeste e nordeste de Mato Grosso enfrentam dificuldades com os acessos as estradas estaduais. Motoristas improvisaram algumas madeiras para conseguirem atravessar com os veículos pela ponte da MT-170, entre Juína e Juruena, municípios distantes a 737 e 893 km de Cuiabá.

Em outro ponto da rodovia um ônibus tentou passar pelo atoleiro, mas não conseguiu. Os passageiros, entre eles um cadeirante, precisaram descer e seguir viagem em outro veículo.

Na rodovia estadual MT-322, entre São José do Xingu e Matupá, a 931 e 696 km de Cuiabá, o problema de repete. Segundo os motoristas são 20 km de atoleiros.

A situação fica cada dia pior durante o período de chuva, conforme relato dos motoristas. Na segunda quinzena de janeiro, o tráfego se intensifica para escoar a produção de soja da região.

Uma pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), no final de 2016, classificou as rodovias estaduais de Mato Grosso como ruins ou péssimas. A maioria das rodovias nem tem asfalto.

Outro lado

A Secretaria Estadual de Infraestrutura (Sinfra) reconheceu os problemas nas duas rodovias e ressaltou que mantém as equipes de manutenção permanentes nos locais, e que as chuvas intensas dificultam os trabalhos. Reforça ainda que o estado está fazendo o repasse do Fundo Estadual de Transporte e Habitação(FETHAB) para manutenções. As equipes devem ser reforçadas para evitar transtorno no escoamento da safra de soja.

espalhe!

Veja também

© Copyright 2000-2013 - Rádio Comunitária Eldorado FM 87,9